FGV Jr.

Corona vírus e a crise do comércio

Em meio a pandemia do Corona Vírus, se torna imprescindível que os micros e pequenos empreendedores encontrem meios de driblar a crise econômica, causada pela diminuição drástica do consumo em lojas, restaurantes, no ramo de eventos, turismo, entre outros.

Em vista disso, com o intuito de auxiliar os empreendedores a sustentarem seus negócios e, portanto, evitar que precisem fechar as portas, a FGV Jr. selecionou medidas alternativas para a manutenção da prestação dos serviços e comercialização dos produtos.

1. Seguir as recomendações

A primeira dica é se mostrar solidário aos seus clientes e funcionários em relação ao cenário atual. O melhor que podemos fazer para que o contágio diminua e a situação se abrande é seguir com as recomendações da Organização Mundial da Saúde.

Não exija a presença de funcionários que não precisam comparecer ao estabelecimento. O regime de home office nesses casos se tornou a melhor opção para evitar o contágio do Corona Vírus.

Para os funcionários presenciais, deve-se disponibilizar álcool em gel, incentivar que lavem as mãos constantemente e manter o ambiente limpo e com ventilação natural. Isso, além de preservar seus funcionários, também protege seus clientes da exposição ao risco do Corona Vírus.

2. Para que o negócio não pare de faturar

Para evitar que seu negócio pare de render repentinamente, pensar em estratégias para que o cliente mantenha o que já foi contratado ou continue comprando são medidas muito eficientes de se manter seus ganhos.

Possíveis alternativas seriam conversar com o cliente para que ao invés de se cancelar o serviço agendado, ele possa remarcá-lo para outra data, mantendo parte do pagamento na data previamente marcada. Pode-se, também, criar vales ou cupons, a fim de vender seu produto ou serviço a um preço mais baixo durante esse período de crise, mas que possam ser retirados a qualquer momento, para que seus clientes possam utilizá-los quando o cenário nacional se restabelecer.

3. Adapte o seu produto

Se o seu cliente agora não pode mais ir até você, pense em meios do seu produto chegar até ele.

Para quem trabalha com o comércio de alimentos, focar na venda de marmitas é uma ótima opção.

Serviços como atendimento psicológico, consultorias em geral ou contabilidade podem ser temporariamente substituídos por chamadas de vídeo. Existe uma série de aplicativos eficientes e fáceis de usar nessas ocasiões, (como o Zoom e o Google Meet). Assim como, personal trainers, fisioterapeutas e professores de yoga, por exemplo, podem começar a disponibilizar treinos e aulas para seus alunos na internet.

4. Ecommerce

As vendas online, atualmente, são as melhores formas de se alcançar clientes em período de quarentena, pois com grande parte das lojas físicas fechadas, comprar pela internet, muitas vezes, se torna a única alternativa.

Por isso, utilizar plataformas de e-commerce (como o Enjoei, OLX, Mercado Livre, entre outros), ou até mesmo nas redes sociais que você já possui, como o Instagram e o Facebook, podem te ajudar a manter as vendas.

Caso você opte por utilizar as redes sociais, a dica é trabalhar no marketing digital para melhorar a qualidade do conteúdo oferecido para atrair clientes. O WhatsApp Business e o Instagram Comercial são ótimas formas de tornar as vendas online mais profissionais.

5. Produzir produtos digitais

Outra forma de trabalhar online é reunindo os conhecimentos que você já possui acerca do seu negócio e criar produtos digitais para disponibilizá-los online, como um Ebook pago, por exemplo.

Dessa forma, caso o serviço ou produto que você oferece não possa ser prestado ou comercializado pela internet, informações sobre a forma com você trabalha também podem servir como uma fonte de renda.

6.  Atentar-se as iniciativas governamentais

Para impedir que a situação dos comerciantes no Brasil agrave significativamente, o Governo já está criando programas para auxiliar os trabalhadores autônomos e afirma pretender criar meios para pagar parte dos salários de funcionários de micro e pequenos empreendimentos.

Diante disso, tente permanecer antenado a respeito de medidas do governo que podem servir como uma ajuda necessária ao seu negócio.

7. Valorizar os empreendedores ao seu redor

Por fim, sabendo dos riscos que correm os micro e pequenos negócios, não deixe de consumir nos locais que mais precisam em tempos de crise. O mercadinho, a farmácia local e a mercearia perto da sua casa, assim como você, muito provavelmente vão passar por dificuldades nas vendas. Por isso, também é nosso papel ajudar os empreendedores a nossa volta.

Caso as sugestões apresentadas por esse texto o ajudaram de alguma forma, acesse o Blog da Fgv Jr. para encontrar outros conteúdos de qualidade que te impulsionarão no desenvolvimento e sucesso de seu negócio.

× Como posso te ajudar?