FGV Jr.

Tenho uma ideia, e agora?

Sou o João Paulo de Lira e sou um jovem empreendedor do Rio de Janeiro. Formado em Engenharia de Produção pela UFRJ, tenho minha empresa no ramo de educação, atuando nos mercados offline e online. Com projetos de sucesso tanto para pessoas quanto para empresas como LinkedIn e L’ORÉAL, estou atualmente focado no desenvolvimento do empreendedorismo carioca e no mercado digital.

Se você já tentou ter o seu próprio negócio, você provavelmente ficou travado em 2 momentos:

1 – Não tenho uma ideia
2 – Tenho uma ideia, e agora?

Eu sei, eu fiquei também travado nesses dois momentos e por muito, muito tempo…

Ao invés de te dizer como ter uma ideia de negócio que você saiba que vai funcionar, hoje vou focar no segundo ponto. Se você ainda não tem uma ideia de negócio, sugiro que continue acompanhando pois vou falar disso na semana que vem.

Imagine aquela sensação absurda de ter uma ideia brilhante, aquele estalo, visualizar tudo que pode acontecer quando você conseguir seus 100 primeiros clientes!

Ver tudo funcionando perfeitamente e num ritmo acelerado e você cheio de trabalho para fazer, pensando no crescimento da empresa, em como conseguir mais clientes incríveis, em como as pessoas vão adorar sua empresa e aquele sentimento de crescimento.

Esse ano você tinha apenas uma ideia, ano que vem você já se vê faturando milhares de reais todo mês.
No fim do ano, R$1 milhão de faturamento! Por que não?

Agora eu te pergunto, se eu te desse a ideia de negócio perfeita amanhã, você saberia o que fazer?
Sinceramente, pare por 1 minutinho e pense… Você saberia?

Pois é…

Por onde começar?

Existem milhares de sites na internet sobre começar um negócio online e milhares de cursos também. Alguns falam que você TEM que ter uma página no Facebook ou um site, outros falam para você não precisa de nada disso. E com tanta informação, as coisas ficam piores do que antes…

“Eu não sei o que preciso fazer antes de começar um negócio. Quanto de investimento eu vou precisar? Quantas pessoas vou ter que contratar? Como que eu registro minha empresa? Imposto?”

“E se eu não for técnico ou o especialista do assunto? Será que eu consigo contratar alguém para fazer isso pra mim, não vai sair muito caro? Inviável…”

Calma, essas preocupações são normais. Mas imagine comigo por um instante. Quando você quer cozinhar algum prato, a primeira coisa que você se preocupa é:

– Onde você vai servir? Não, você nem começou ainda.
– Qual talher você vai usar para comer? Não, você nem começou ainda.
– Se a panela tá pegando pressão? Não, você nem começou ainda

E por que quando o assunto é sua ideia ou seu negócio você sai atropelando tudo?

Bem, acho que você já entendeu o problema. Agora vamos à solução.

Sim, existem várias formas de começar um negócio. Online, loja física, consultoria, cada tipo de negócio vai exigir uma série de coisas diferentes de você. MAS, quando você tem ainda uma simples ideia qual é o seu primeiro objetivo? Saber se aquilo vai funcionar e como fazer funcionar. É isso e ponto.

Teste! E não se preocupe em fazer sair perfeito

Quando você está começando, ninguém quer saber se a sua loja tem luz branca ou amarela. Ninguém quer saber se seu site tem uma letra tamanho 12 ou 14. As pessoas querem saber o que você consegue fazer para resolver o problema delas. E é isso que você precisa testar.

Mas como?

No seu lugar, eu iria BEM, BEM simples. Ache 10 pessoas (sim, 10 e não 100) que estejam minimamente interessadas no que você quer oferecer e VENDA!

Se você puder vender o seu produto ou serviço e entregar depois, faça isso! Mesmo sem ter nada pronto. Isso não é enganar o cliente, isso é o que chamamos de pré-venda e empresas no mundo todo fazem isso com livros, celulares e praticamente qualquer coisa, até serviço em salão de beleza.

O segredo é que esse teste vai te mostrar exatamente o que você precisa fazer depois. Você vai ter uma confirmação que essas pessoas realmente querem o que você tem a oferecer.

Se elas não quiserem, seu próximo passo é mudar o que você está oferecendo, porque aparentemente ele não resolve o problema (então você já sabe o que fazer para começar, mudar o seu produto ou serviço).

Se elas quiserem, seu próximo passo é criar o produto. Se for algo muito grande você cria uma primeira versão e entrega assim mesmo (de qualquer forma você já vai saber o que fazer para começar, criar o produto ou serviço).

Um exemplo?

Quando comecei eu queria oferecer treinamento em Excel para universitários a um preço acessível. Na minha cabeça, que era um universitário, fazia total sentido. Mas sei lá, vai ver eu era maluco ou então o que eu pensei não fazia sentido algum. Marquei uma aula gratuita oferecendo em um grupo do Facebook da minha faculdade. A empresa não tinha nome, não tinha site, não tinha página no Facebook, não tinha endereço, não tinha contador…isso mesmo, eu não tinha nada.

Montei uma aula básica, ensinei o que me propus sem cobrar nada. No final, passei uma pesquisa de satisfação. Esse foi o segredo. Na pesquisa eu pedi para as pessoas darem uma nota para a aula (aí eu via se o “produto” que eu pensei era bom), deixei um espaço aberto para comentários ou sugestões (para saber o que eu precisava fazer a partir desse teste) e simplesmente inventei umas datas, uns horários e uns preços, perguntando quem queria um curso completo.

Sim, EU INVENTEI TUDO, até endereço.

Bem, 40 pessoas falaram que queriam fazer o curso. Na semana seguinte eu montei toda a estrutura do curso, arranjei um endereço de verdade dessa vez (aluguei por hora e combinei de pagar só depois de receber) e depois liguei para as 40 pessoas, uma a uma. Consegui 10 pessoas e a Hashtag Treinamentos, minha empresa, teve sua primeira turma. Sem site, sem sala, sem contador, sem nada…

Já sabe como vai começar então o seu negócio?

Para saber mais, entre em https://www.hashtagtreinamentos.com/

Translate
×