FGV Jr.

Empresa Júnior: por que contratar?

poqrue contratar uma empresa junior?

O conceito de Empresa Júnior vem se tornando uma tendência no mercado brasileiro. Segundo a Confederação Brasileira de Empresas Juniores, o Brasil é hoje o país líder em número de EJ’s, com cerca de 350 empresas confederadas, e mais de 11 mil empresários de todas as regiões do país.

A ideia de Empresa Júnior surgiu na França, em 1967, onde os alunos da ESSEC – L’École Supérieure des Sciences Economiques et Commerciales. Em Paris, sentiram a necessidade de ter maior contato com o mercado de trabalho e o ramo no qual viriam a atuar. Por isso, foi fundada a Junior ESSEC Conseil, uma entidade estudantil pioneira no ramo de empresas juniores, que permitiu aos alunos colocar em prática os conhecimentos adquiridos em sala de aula. Essas empresas atuavam como estágio, sem que seja preciso sair da universidade, o modelo se espalhou pelo mundo. Hoje, destacam-se, além da brasileira, as federações americanas, a asiáticas e europeias de empresas juniores que, somadas, movimentam mais de três milhões de euros por ano.

As empresas juniores são formadas por alunos de graduação de uma instituição de ensino superior, sempre ligadas a um ou mais cursos de graduação. Embora a gestão de uma empresa júnior seja feita integralmente pelos próprios alunos  (presidência, gestão financeira, gestão de marketing, etc.), um respaldo deve ser feito pela instituição, contando com professores orientadores e acompanhamento constante. Além de fomentar o crescimento pessoal e profissional do aluno membro, o Movimento das Empresas Juniores também contribui para sociedade, possibilitando a médios, micro e pequenos empresários acesso a serviços de qualidade com preço muito abaixo do mercado. Dessa forma, além de atingir seu próprio objetivo, as empresas juniores contribuem para o desenvolvimento do empreendedorismo em sua região.

 

E como funciona uma empresa Júnior?

Qualquer Estudante De Graduação Pode Fazer Parte De Uma Empresa Júnior Ligada O Seu Curso. À Rigor, É Necessário Passar Por Um Processo Seletivo Que Funciona Como O De Uma Empresa Sênior, Com Provas De Conhecimentos Gerais, Redação, Dinâmicas De Grupo E Entrevistas, Além De Programas De Trainees. O Meta É Selecionar Os Melhores Alunos, Pessoas Que Estejam Dispostas Não Só A Aprender, Mas A Contribuir Para O Desenvolvimento Da Empresa. Ex-Alunos Que Passaram Por Empresas Juniores, Contam Com Diferencial De Conhecer O Mercado, Ter Experiência De Trabalho, Conhecer A Prática Empreendedora E Desenvolvimento De Suas Habilidades Empresariais.

No Dia-A-Dia, Os Jovens Empresários Trabalham Em Horários De Contra Turno, Quando Não Estão Assistindo Às Aulas. Em Geral, As Empresas Seguem Uma Estrutura Hierárquica, Com Presidente, Vice-Presidente, Diretores De Área E Gerentes, Que São Eleitos Semestral Ou Anualmente Pelos Demais Membros. No Caso Da FGV Jr., Todos Os Membros Realizam Projetos, Tendo Sempre Que Conciliar Tarefas Internas E Externas. Normalmente, As Equipes De Projetos São Formadas Por Um Gerente E Dois Ou Três Consultores, E A Empresa Segue A Seguinte Estrutura:

Estrutura da equipe

Além Disso, Aqui Cada Membro Tem Liberdade Para Montar Seus Próprios Horários De Trabalho, De Acordo Com Suas Demandas, Podendo Realizar As Tarefas De Casa. Entretanto É Preciso Estar Presente Na Sede Da Empresa Durante Pelo Menos Uma Hora Por Semana, Além De Comparecer Mensalmente Às Reuniões Gerais E Semanalmente Às Reuniões De Área. O Ambiente Da Empresa É Formal, E A Qualidade É Semelhante À De Uma Consultoria Sênior; Nossos Preços, Entretanto, São Consideravelmente Mais Baixos E Todo O Nosso Faturamento É Convertido Em Capacitação, Para Que A Qualidade De Nossos Serviços Seja Sempre Mantida.

Quer Saber Mais Sobre Como

Translate
Blue Friday - Descontos Imperdíveis
×