FGV Jr.

Planejamento estratégico, tático e operacional

É notório que o planejamento estratégico, tático e operacional desempenha um papel fundamental na gestão empresarial, contribuindo para o desenvolvimento de estratégias que visem os objetivos finais da empresa e colaborem para que eles sejam alcançados, além de auxiliar as organizações em seu processo de tomada de decisão e aumentar o engajamento de seus funcionários.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico abrange toda a organização e deve focar principalmente no longo prazo. Esse é o momento em que a empresa decide seus objetivos estratégicos através de uma análise da situação atual da organização e a realização de projeções para o futuro. A partir desse estudo, a empresa define sua visão para o futuro da corporação e eles passam a alocar recursos e esforços, com o objetivo de tornar essa visão realidade. Desse modo, o planejamento estratégico se mostra um fator fundamental para o crescimento e para a evolução das empresas.

Quais aspectos devem ser abordados durante o desenvolvimento de um planejamento estratégico?

É imperativo destacar a importância de analisar questões externas e internas à organização durante a realização do planejamento estratégico, já que assim a empresa compreenderá os desafios que tem pela frente e poderá se preparar melhor para enfrentá-los. Além disso, através de uma análise externa, a instituição também poderá perceber oportunidades dentro do mercado em que ela está inserida, além de estudar seus concorrentes, seu público alvo e compreender quais são suas fraquezas e vantagens competitivas em relação a eles.

Por outro lado, ao realizar um estudo dos fatores internos, a empresa poderá compreender se o clima de sua organização está adequado, isto é, se os funcionários estão engajados, se eles se identificam com os valores da empresa, se todos possuem ciência de onde a empresa quer chegar e a relevância do seu papel nesse processo. Além disso, é importante que a organização reveja sua missão e visão e cheque se ambas ainda estão apropriadas para a realidade atual da empresa.

Por fim, é necessário que a organização defina metas e objetivos específicos e que eles fiquem claros para toda empresa.

Planejamento tático

O planejamento tático, por outro lado, é pensado em nível departamental e foca, principalmente, em colocar em prática as ações necessárias para alcançar os objetivos traçados no planejamento estratégico. Assim, o planejamento tático é responsável por dar as condições para que a operação flua de forma alinhada à estratégia organizacional definida. É importante que esse planejamento seja flexível e possua uma alta capacidade de reação a imprevistos e mudanças.

Uma boa ferramenta para ajudar nesse processo é o 5W2H, já que ela representa um checklist de ações que devem ser desenvolvidas em um projeto, avaliando questões como:

  • O que será feito? (What);
  • Por que será feito? (Why);
  • Onde será feito? (Where);
  • Quem irá fazer? (Who);
  • Quando irão fazer?(When);
  • Como irão fazer? (How);
  • Quanto custará? (How much);

Planejamento operacional

O planejamento operacional coloca em prática as ações necessárias para atingir os objetivos pontuados pelo planejamento tático. Desse modo, ele é responsável, principalmente, por organizar e distribuir as tarefas e atividades diárias da organização, além de decidir quais métodos serão utilizados para que elas sejam completadas. Nesse sentido, cabe ao planejamento operacional apontar prazos, designar quais funcionários serão responsáveis por qual projeto e quais recursos serão utilizados, a fim de que as tarefas sejam completadas.

Imagem 1 - Planejamento Estratégico, Tático e Operacional

Qual a importância do planejamento estratégico, tático e operacional para a gestão empresarial

O planejamento estratégico, tático e operacional apresenta uma importância fundamental no desenvolvimento da empresa, já que a partir dele é possível ter uma visão real da situação da organização, além de fortalecer e engajar a equipe. Aqui estão alguns motivos para investir em planejamentos:

1. Aprimora a gestão estratégica: o planejamento estratégico, tático e operacional permite ajustar políticas internas e influenciar a cultura organizacional, criando um ambiente de trabalho mais agradável, o que permite uma maior retenção de talentos e afeta positivamente a motivação dos funcionários, garantindo melhores resultados.

2. Alinha os objetivos: com uma gestão mais organizada é possível que todos os funcionários compreendam onde a empresa quer chegar e qual a relevância do seu papel nesse processo. Desse modo, se cria um senso de direcionamento entre os colaboradores, o que ajuda a estabelecer metas e objetivos realistas que estejam alinhados com todos os membros, com a visão e com a missão da empresa.

3. Agiliza as ações: A partir do planejamento estratégico, as atividades e tarefas se tornam dinâmicas e o tempo de resposta entre elas é reduzido.

4. Identifica as oportunidades: o planejamento possibilita analisar a concorrência, as tendências e as ameaças do mercado.

5. Antecipa os cenários (proativo e não reativo): o planejamento estratégico permite que as empresas realizem projeções para o futuro e, portanto, que elas estejam preparadas para diferentes cenários sendo ele otimista ou pessimista. Nesse sentido, a organização seria capaz de antecipar um problema, prever o seu impacto direto no negócio e se recuperar sem maiores problemas.

 

Estudo de caso 1: Gol linhas aéreas

A Gol Linhas Aéreas iniciou suas atividades comerciais em Janeiro de 2001. O marco inicial da empresa foi a contratação de profissionais com experiência no mercado e o desenvolvimento de um plano estratégico que definia o conceito do negócio e previa os elementos necessários como, por exemplo, sistema comercial, de manutenção e operacional. A empresa analisou suas forças e fraquezas, compreendendo suas oportunidades em relação à concorrência no mercado de viagens aéreas e desenvolvendo uma cultura organizacional forte.

A partir disso ela definiu como seu objetivo e diferencial principal oferecer passagens com preços acessíveis para seus clientes. Contudo, para isso, a companhia optou por diminuir a qualidade de outras partes do serviço, deixando a desejar em relação a outros fatores como o conforto, por exemplo.

Além disso, a Gol mudou a forma de comercialização das passagens, realizando as operações pela internet, o que reduziu seus custos operacionais. Por fim, ela focava em oferecer constantemente promoções noturnas, diminuindo ainda mais o custo das passagens. Isso deixou as viagens noturnas sempre lotadas, gerando um um aumento no faturamento.

O caso da Gol comprova a importância do desenvolvimento de um planejamento estratégico, tático e operacional forte, já que a partir dele a empresa foi capaz de alinhar sua estratégia e focar em um objetivo único, se tornando uma das maiores empresas aéreas do Brasil e uma referência no país quando o tema é baixo custo.

Estudo de caso 2: Toyota

Desde sua fundação a Toyota Motor Corporation consolidou um modelo de produção reconhecido por seus princípios de eficiência, redução de falhas e produtividade sistêmica. Contudo, logo após a segunda guerra mundial, a empresa enfrentou sua maior crise econômica, chegando a beirar a falência.

A fim de contornar essa situação, o então presidente da empresa realizou um planejamento de longo prazo, o qual incluía ações que objetivavam o trabalho produtivo através da eliminação do desperdício, fluxos contínuos e estoque sob demanda.

O conceito ficou conhecido como Sistema Toyota de Produção. Ele fez com que a empresa conseguisse fornecer ao mercado produtos de altíssima qualidade, o lead time mais curto (entregas rápidas) e o menor custo.

Atualmente, diversas montadoras utilizam o modelo de produção da Toyota e, como resultado desse planejamento, a empresa revolucionou o mercado automobilístico, se tornando uma das maiores e mais respeitadas montadoras do mundo.

Para saber mais sobre a importância do planejamento estratégico, tático e operacional e nossos serviços de planejamento estratégico, basta clicar aqui!

João Gabriel Rodrigues da Silva

Graduando de administração na FGV EBAPE - 2° Período

Qual a importância do planejamento estratégico, tático e operacional para a gestão empresarial

Planejamento estratégico, tático e operacional

É notório que o planejamento estratégico, tático e operacional desempenha um papel fundamental na gestão empresarial, contribuindo para o desenvolvimento de estratégias que visem os objetivos finais da empresa e colaborem para que eles sejam alcançados, além de auxiliar as organizações em seu processo de tomada de decisão e aumentar o engajamento de seus funcionários.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico abrange toda a organização e deve focar principalmente no longo prazo. Esse é o momento em que a empresa decide seus objetivos estratégicos através de uma análise da situação atual da organização e a realização de projeções para o futuro. A partir desse estudo, a empresa define sua visão para o futuro da corporação e eles passam a alocar recursos e esforços, com o objetivo de tornar essa visão realidade. Desse modo, o planejamento estratégico se mostra um fator fundamental para o crescimento e para a evolução das empresas.

Quais aspectos devem ser abordados durante o planejamento estratégico?

É imperativo destacar a importância de analisar questões externas e internas à organização durante a realização do planejamento estratégico, já que assim a empresa compreenderá os desafios que tem pela frente e poderá se preparar melhor para enfrentá-los. Além disso, através de uma análise externa, a instituição também poderá perceber oportunidades dentro do mercado em que ela está inserida, além de estudar seus concorrentes, seu público alvo e compreender quais são suas fraquezas e vantagens competitivas em relação a eles.

Por outro lado, ao realizar um estudo dos fatores internos, a empresa poderá compreender se o clima de sua organização está adequado, isto é, se os funcionários estão engajados, se eles se identificam com os valores da empresa, se todos possuem ciência de onde a empresa quer chegar e a relevância do seu papel nesse processo. Além disso, é importante que a organização reveja sua missão e visão e cheque se ambas ainda estão apropriadas para a realidade atual da empresa.

Por fim, é necessário que a organização defina metas e objetivos específicos e que eles fiquem claros para toda empresa.

Planejamento tático

O planejamento tático, por outro lado, é pensado em nível departamental e foca, principalmente, em colocar em prática as ações necessárias para alcançar os objetivos traçados no planejamento estratégico. Assim, o planejamento tático é responsável por dar as condições para que a operação flua de forma alinhada à estratégia organizacional definida. É importante que esse planejamento seja flexível e possua uma alta capacidade de reação a imprevistos e mudanças.

Uma boa ferramenta para ajudar nesse processo é o 5W2H, já que ela representa um checklist de ações que devem ser desenvolvidas em um projeto, avaliando questões como:

  • O que será feito? (What);
  • Por que será feito? (Why);
  • Onde será feito? (Where);
  • Quem irá fazer? (Who);
  • Quando irão fazer?(When);
  • Como irão fazer? (How);
  • Quanto custará? (How much);

Planejameto operacional

O planejamento operacional coloca em prática as ações necessárias para atingir os objetivos pontuados pelo planejamento tático. Desse modo, ele é responsável, principalmente, por organizar e distribuir as tarefas e atividades diárias da organização, além de decidir quais métodos serão utilizados para que elas sejam completadas. Nesse sentido, cabe ao planejamento operacional apontar prazos, designar quais funcionários serão responsáveis por qual projeto e quais recursos serão utilizados, a fim de que as tarefas sejam completadas.

Imagem 1 - Planejamento Estratégico, Tático e Operacional

Qual a importância do planejamento estratégico, tático e operacional para a gestão empresarial

O planejamento estratégico, tático e operacional apresenta uma importância fundamental no desenvolvimento da empresa, já que a partir dele é possível ter uma visão real da situação da organização, além de fortalecer e engajar a equipe. Aqui estão alguns motivos para investir em planejamentos:

1. Aprimora a gestão estratégica: o planejamento estratégico, tático e operacional permite ajustar políticas internas e influenciar a cultura organizacional, criando um ambiente de trabalho mais agradável, o que permite uma maior retenção de talentos e afeta positivamente a motivação dos funcionários, garantindo melhores resultados.

2. Alinha os objetivos: com uma gestão mais organizada é possível que todos os funcionários compreendam onde a empresa quer chegar e qual a relevância do seu papel nesse processo. Desse modo, se cria um senso de direcionamento entre os colaboradores, o que ajuda a estabelecer metas e objetivos realistas que estejam alinhados com todos os membros, com a visão e com a missão da empresa.

3. Agiliza as ações: A partir do planejamento estratégico, as atividades e tarefas se tornam dinâmicas e o tempo de resposta entre elas é reduzido.

4. Identifica as oportunidades: o planejamento possibilita analisar a concorrência, as tendências e as ameaças do mercado.

5. Antecipa os cenários (proativo e não reativo): o planejamento estratégico permite que as empresas realizem projeções para o futuro e, portanto, que elas estejam preparadas para diferentes cenários sendo ele otimista ou pessimista. Nesse sentido, a organização seria capaz de antecipar um problema, prever o seu impacto direto no negócio e se recuperar sem maiores problemas.

Imagem 2 - Planejamento Estratégico, Tático e Operacional

Estudo de caso 1: Gol linhas aéreas

A Gol Linhas Aéreas iniciou suas atividades comerciais em Janeiro de 2001. O marco inicial da empresa foi a contratação de profissionais com experiência no mercado e o desenvolvimento de um plano estratégico que definia o conceito do negócio e previa os elementos necessários como, por exemplo, sistema comercial, de manutenção e operacional. A empresa analisou suas forças e fraquezas, compreendendo suas oportunidades em relação à concorrência no mercado de viagens aéreas e desenvolvendo uma cultura organizacional forte.

A partir disso ela definiu como seu objetivo e diferencial principal oferecer passagens com preços acessíveis para seus clientes. Contudo, para isso, a companhia optou por diminuir a qualidade de outras partes do serviço, deixando a desejar em relação a outros fatores como o conforto, por exemplo.

Além disso, a Gol mudou a forma de comercialização das passagens, realizando as operações pela internet, o que reduziu seus custos operacionais. Por fim, ela focava em oferecer constantemente promoções noturnas, diminuindo ainda mais o custo das passagens. Isso deixou as viagens noturnas sempre lotadas, gerando um um aumento no faturamento.

O caso da Gol comprova a importância do desenvolvimento de um planejamento estratégico, tático e operacional forte, já que a partir dele a empresa foi capaz de alinhar sua estratégia e focar em um objetivo único, se tornando uma das maiores empresas aéreas do Brasil e uma referência no país quando o tema é baixo custo.

Estudo de caso 2: Toyota

Desde sua fundação a Toyota Motor Corporation consolidou um modelo de produção reconhecido por seus princípios de eficiência, redução de falhas e produtividade sistêmica. Contudo, logo após a segunda guerra mundial, a empresa enfrentou sua maior crise econômica, chegando a beirar a falência.

A fim de contornar essa situação, o então presidente da empresa realizou um planejamento de longo prazo, o qual incluía ações que objetivavam o trabalho produtivo através da eliminação do desperdício, fluxos contínuos e estoque sob demanda.

O conceito ficou conhecido como Sistema Toyota de Produção. Ele fez com que a empresa conseguisse fornecer ao mercado produtos de altíssima qualidade, o lead time mais curto (entregas rápidas) e o menor custo.

Atualmente, diversas montadoras utilizam o modelo de produção da Toyota e, como resultado desse planejamento, a empresa revolucionou o mercado automobilístico, se tornando uma das maiores e mais respeitadas montadoras do mundo.

Para saber mais sobre a importância do planejamento estratégico, tático e operacional e nossos serviços de planejamento estratégico, basta clicar aqui!

João Gabriel Rodrigues da Silva

Graduando de administração da FGV EBAPE - 2° Período

Planejameto operacional

Planejamento estratégico, tático e operacional

É notório que o planejamento estratégico, tático e operacional desempenha um papel fundamental na gestão empresarial, contribuindo para o desenvolvimento de estratégias que visem os objetivos finais da empresa e colaborem para que eles sejam alcançados, além de auxiliar as organizações em seu processo de tomada de decisão e aumentar o engajamento de seus funcionários.

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico abrange toda a organização e deve focar principalmente no longo prazo. Esse é o momento em que a empresa decide seus objetivos estratégicos através de uma análise da situação atual da organização e a realização de projeções para o futuro. A partir desse estudo, a empresa define sua visão para o futuro da corporação e eles passam a alocar recursos e esforços, com o objetivo de tornar essa visão realidade. Desse modo, o planejamento estratégico se mostra um fator fundamental para o crescimento e para a evolução das empresas.

Quais aspectos devem ser abordados durante o desenvolvimento de um planejamento estratégico

É imperativo destacar a importância de analisar questões externas e internas à organização durante a realização do planejamento estratégico, já que assim a empresa compreenderá os desafios que tem pela frente e poderá se preparar melhor para enfrentá-los. Além disso, através de uma análise externa, a instituição também poderá perceber oportunidades dentro do mercado em que ela está inserida, além de estudar seus concorrentes, seu público alvo e compreender quais são suas fraquezas e vantagens competitivas em relação a eles.

Por outro lado, ao realizar um estudo dos fatores internos, a empresa poderá compreender se o clima de sua organização está adequado, isto é, se os funcionários estão engajados, se eles se identificam com os valores da empresa, se todos possuem ciência de onde a empresa quer chegar e a relevância do seu papel nesse processo. Além disso, é importante que a organização reveja sua missão e visão e cheque se ambas ainda estão apropriadas para a realidade atual da empresa.

Por fim, é necessário que a organização defina metas e objetivos específicos e que eles fiquem claros para toda empresa.

Planejamento tático

O planejamento tático, por outro lado, é pensado em nível departamental e foca, principalmente, em colocar em prática as ações necessárias para alcançar os objetivos traçados no planejamento estratégico. Assim, o planejamento tático é responsável por dar as condições para que a operação flua de forma alinhada à estratégia organizacional definida. É importante que esse planejamento seja flexível e possua uma alta capacidade de reação a imprevistos e mudanças.

Uma boa ferramenta para ajudar nesse processo é o 5W2H, já que ela representa um checklist de ações que devem ser desenvolvidas em um projeto, avaliando questões como:

  • O que será feito? (What);
  • Por que será feito? (Why);
  • Onde será feito? (Where);
  • Quem irá fazer? (Who);
  • Quando irão fazer?(When);
  • Como irão fazer? (How);
  • Quanto custará? (How much);

Planejamento operacional

O planejamento operacional coloca em prática as ações necessárias para atingir os objetivos pontuados pelo planejamento tático. Desse modo, ele é responsável, principalmente, por organizar e distribuir as tarefas e atividades diárias da organização, além de decidir quais métodos serão utilizados para que elas sejam completadas. Nesse sentido, cabe ao planejamento operacional apontar prazos, designar quais funcionários serão responsáveis por qual projeto e quais recursos serão utilizados, a fim de que as tarefas sejam completadas.

Imagem 1 - Planejamento Estratégico, Tático e Operacional

Qual a importância do planejamento estratégico, tático e operacional para a gestão empresarial

O planejamento estratégico, tático e operacional apresenta uma importância fundamental no desenvolvimento da empresa, já que a partir dele é possível ter uma visão real da situação da organização, além de fortalecer e engajar a equipe. Aqui estão alguns motivos para investir em planejamentos:

1. Aprimora a gestão estratégica: o planejamento estratégico, tático e operacional permite ajustar políticas internas e influenciar a cultura organizacional, criando um ambiente de trabalho mais agradável, o que permite uma maior retenção de talentos e afeta positivamente a motivação dos funcionários, garantindo melhores resultados.

2. Alinha os objetivos: com uma gestão mais organizada é possível que todos os funcionários compreendam onde a empresa quer chegar e qual a relevância do seu papel nesse processo. Desse modo, se cria um senso de direcionamento entre os colaboradores, o que ajuda a estabelecer metas e objetivos realistas que estejam alinhados com todos os membros, com a visão e com a missão da empresa.

3. Agiliza as ações: A partir do planejamento estratégico, as atividades e tarefas se tornam dinâmicas e o tempo de resposta entre elas é reduzido.

4. Identifica as oportunidades: o planejamento possibilita analisar a concorrência, as tendências e as ameaças do mercado.

5. Antecipa os cenários (proativo e não reativo): o planejamento estratégico permite que as empresas realizem projeções para o futuro e, portanto, que elas estejam preparadas para diferentes cenários sendo ele otimista ou pessimista. Nesse sentido, a organização seria capaz de antecipar um problema, prever o seu impacto direto no negócio e se recuperar sem maiores problemas.

Imagem 2 - Planejamento Estratégico, Tático e Operacional

Estudo de caso 1: Gol linhas aéreas

A Gol Linhas Aéreas iniciou suas atividades comerciais em Janeiro de 2001. O marco inicial da empresa foi a contratação de profissionais com experiência no mercado e o desenvolvimento de um plano estratégico que definia o conceito do negócio e previa os elementos necessários como, por exemplo, sistema comercial, de manutenção e operacional. A empresa analisou suas forças e fraquezas, compreendendo suas oportunidades em relação à concorrência no mercado de viagens aéreas e desenvolvendo uma cultura organizacional forte.

A partir disso ela definiu como seu objetivo e diferencial principal oferecer passagens com preços acessíveis para seus clientes. Contudo, para isso, a companhia optou por diminuir a qualidade de outras partes do serviço, deixando a desejar em relação a outros fatores como o conforto, por exemplo.

Além disso, a Gol mudou a forma de comercialização das passagens, realizando as operações pela internet, o que reduziu seus custos operacionais. Por fim, ela focava em oferecer constantemente promoções noturnas, diminuindo ainda mais o custo das passagens. Isso deixou as viagens noturnas sempre lotadas, gerando um um aumento no faturamento.

O caso da Gol comprova a importância do desenvolvimento de um planejamento estratégico, tático e operacional forte, já que a partir dele a empresa foi capaz de alinhar sua estratégia e focar em um objetivo único, se tornando uma das maiores empresas aéreas do Brasil e uma referência no país quando o tema é baixo custo.

Estudo de caso 2: Toyota

Desde sua fundação a Toyota Motor Corporation consolidou um modelo de produção reconhecido por seus princípios de eficiência, redução de falhas e produtividade sistêmica. Contudo, logo após a segunda guerra mundial, a empresa enfrentou sua maior crise econômica, chegando a beirar a falência.

A fim de contornar essa situação, o então presidente da empresa realizou um planejamento de longo prazo, o qual incluía ações que objetivavam o trabalho produtivo através da eliminação do desperdício, fluxos contínuos e estoque sob demanda.

O conceito ficou conhecido como Sistema Toyota de Produção. Ele fez com que a empresa conseguisse fornecer ao mercado produtos de altíssima qualidade, o lead time mais curto (entregas rápidas) e o menor custo.

Atualmente, diversas montadoras utilizam o modelo de produção da Toyota e, como resultado desse planejamento, a empresa revolucionou o mercado automobilístico, se tornando uma das maiores e mais respeitadas montadoras do mundo.

Para saber mais sobre a importância do planejamento estratégico, tático e operacional e nossos serviços de planejamento estratégico, basta clicar aqui!

João Gabriel Rodrigues da Silva

Graduando de administração na FGV EBAPE - 2° Período

Gostou desse conteúdo?

Veja como fazemos projetos com esse tema

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Translate
×